Vem aí a Campanha Nacional de Multivacinação para criança e adolescente, dia 16/10
Proposta é a de prevenir contra as doenças que atingem esse público/alvo entre sarampo, meningite e caxumba
Publicado em: 13/10/2021 ás 08:56:00 Autor: ASCOM/PMNBS/Benedito F. de Souza Fonte: ASCOM/PMNBS/Benedito F. de Souza

Já está em andamento, desde 01 de outubro e vai até o dia 29 do mesmo mês de outubro, a Campanha Nacional de Multivacinação para atualização da caderneta de vacinação da criança e do adolescente neste ano de 2021.

Em Nobres, no dia 16 de outubro de 2021, acontece o dia principal da campanha, denominado de Dia “D”, quando a Secretaria Municipal de Saúde espera contar com o maior número de crianças e adolescentes para a multivacinação. A campanha objetiva oportunizar acesso às vacinas que fazem parte do Calendário Nacional de Vacinação de Criança e de Adolescente.

A importância da vacinação através do SUS, sem custo, além de atualizar a situação vacinal, aumenta as coberturas vacinais, contribuindo decisivamente para a diminuição da incidência das doenças, ajudando o Sistema Público de Saúde a manter o controle e até mesmo a erradicação das doenças que podem ser prevenidas através da vacina.

Assim, deve comparecer às unidades de saúde dos bairros Jardim Glória, Jardim Petrópolis, São José e PSF Central no horário compreendido entre 08:00 e 17:00 horas, sendo importante levar o Cartão de Vacina, através do qual será avaliada a situação vacinal e até para conhecer a necessidade da aplicação do tipo de vacina e ainda o Cartão SUS, para controle do Ministério da Saúde.

O público convocado inclui crianças e adolescentes menores de 15 anos de idade, sendo de primordial importância que todos nessas idades compareçam para vacinar de modo a completar o esquema vacinal, melhorando os níveis da situação epidemiológica da doença no país. Razão porque, estados e municípios estão empenhados nessa campanha, como informa o coordenador de Atenção Básica, Lázaro Alves Dias.

“Essa campanha vem desde 2012 e a intenção é exatamente a da redução do número de oportunidades perdidas com a não imunização”, sintetiza Lázaro Dias.